Hipnoterapia

Hipnose

A hipnose realmente existe, não é mágica nem truque e vai além do simples ato de sugestionar os outros. É um fenômeno neurológico, que acontece bem no meio do cérebro e é capaz de alterar o estado normal das pessoas. Mas como ela funciona? E até que ponto pode ser usada para dominar a cabeça dos outros - e controlar melhor a sua própria mente?

A hipnose é muito mais comum do que se imagina. Você já deve ter se auto-hipnotizado milhares de vezes e nem percebeu. Um exemplo: sabe quando você está indo para algum lugar, mas acaba se distraindo com os próprios pensamentos e ao chegar nem se lembra do caminho que fez? É uma forma fraquinha de hipnose. "O estado hipnótico é parecido com o que acontece quando você fica absorto, lendo um livro ou vendo um filme". É um estado de grande atenção, em que o cérebro foca em uma coisa e se desliga do resto. Mas não tem nada de extraordinário; é um mecanismo que faz parte do funcionamento normal do cérebro.

Como podemos apagar uma marca emocional?

Em muitos casos, trabalhar terapeuticamente com o ser presente e com o que é consciente da pessoa poderia ser suficiente já que se fortalecem e reconstroem aspectos da personalidade que estavam debilitados desde a infância.

Já em outros casos, é preciso utilizar alguma técnica terapêutica para acessar o subconsciente da pessoa e reconstruir o dano causado por aquelas situações vividas na infância ou anos atrás, mesmo que não haja consciência dessa situação.

Para isto, dentre outras, é muito eficiente a técnica da hipnose, já que permite curar, reconstruir e sanar, em estado de transe, a dor causada e guardada no cérebro emocional.

Os procedimentos mais utilizados são:

  • Recuperar a criança interior para fortalecê-la e dar-lhe o amor e carinho que talvez lhe tenha faltado.
  • Reconstruir a situação em que a dor foi vivida
  • Visualizar-se com as estratégias e as capacidades de enfrentar as situações evitadas.
  • Aprender atitudes e habilidades de superação e crescimento.