Pânico

Pânico

Trata-se de um período em que a pessoa sofre subitamente de um medo ou temor muito intenso e irracional. Sua duração pode variar entre minutos e horas. Geralmente, eles aparecem do nada e sua intensidade máxima é alcançada aos 10 minutos, aproximadamente. Contudo, ele pode continuar por mais tempo se o indivíduo não fizer nada para escapar ou para sair dessa situação.

Se uma pessoa sofre de ataques de pânico frequentes, intensos e desencadeados por diferentes fatores, é preciso consultar um especialista.

Alguns fazem tentativas ou esforços desesperados de sair da situação, mas nem sempre conseguem. Outros se dedicam a esperar a que "passe".

O sentimento recorrente é o temor, o terror, o susto, o pânico ou como você quiser chamá-lo. Aparecem sintomas físicos de grande intensidade tais como hiperventilação pulmonar, taquicardia, dificuldade para respirar, tremores, tonturas, náuseas, dor de cabeça, etc. Em muitos casos a pessoa não quer sair de casa ou do seu trabalho; prefere estar acompanhada e não deseja usar um transporte público.

Os ataques não têm aviso; podem acontecer a qualquer momento ou lugar. Começam como uma angústia cada vez maior, ao que se somam a ansiedade e a excitação fisiológica, sem uma causa aparente ou, pelo menos, sem que possamos notá-la.

Existem alguns sinais que aparecem no momento da crise e outros que continuam à espreita na escuridão, como a instabilidade, as enxaquecas, a hipertensão, dores no peito, taquicardia, dificuldade para respirar, etc.